Translate

terça-feira, 25 de agosto de 2015

DECORANDO ROLHAS DE GARRAFAS

RECICLANDO ROLHAS DE VINHO

De que adianta uma linda garrafa decorada sem uma rolha ou tampa à altura?
A não ser que sua garrafa seja usada apenas para decoração, como vaso, candelabro ou simplesmente como peça decorativa, a rolha é de suma importância.
RECICLANDO ROLHAS DE VINHO; arte com rolha; reciclagem; lixo é luxo

Como tinha várias rolhas guardadas resolvi usá-las. 
Mas, é preciso que a tampa ou rolha da garrafa decorada seja harmoniosa com o trabalho feito. Afinal uma linda garrafa com uma rolha sem nenhum acabamento mata qualquer trabalho. Fica faltando algo. Fica sem finalização. 
As opções são muitas.

O primeiro passo é escolher a rolha ideal para a garrafa. Uma que entre bem. Caso as suas rolhas sejam largas para o gargalo da garrafa, use um estilete e uma lixa de madeira grossa e depois outra fina para diminuir o diâmetro. Não reduza muito ou corre o risco da rolha cair dentro da garrafa. Limpe bem a rolha antes de começar qualquer trabalho.

Trabalhe apenas a parte que ficará exposta. Use o mesmo trabalho que empregou na garrafa para criar uma ideia de continuidade. 
rolhas; reciclagem; decoração de rolhas; garrafas recicladas
rolhas; reciclagem; decoração de rolhas;
rolhas; reciclagem; decoração de rolhas;

Lembre-se que todos os materiais e químicos utilizados (cola, termolina, tinta, verniz, guardanapo, casca de ovo, sisal, cordão,...) não deverão ser empregados na parte que terá contato com o líquido que for guardar na garrafa. Isto, se a sua garrafa for ter a finalidade de uso para abrigar água, licor, óleo, azeite ou outro líquido qualquer.
Você pode criar relevo na parte externa da rolha com massa epóxi. Deixe a massa secar bem antes de pintar segundo o trabalho da garrafa. A finalidade da massa é que, além de decorar, impedirá que a rolha venha a cair dentro da garrafa. 
rolhas; reciclagem; decoração de rolhas;
Não importa o material empregado, obedeça sempre o tempo de secagem de cada etapa.
rolhas; reciclagem; decoração de rolhas;
Finalize o trabalho com o mesmo verniz empregado na garrafa. Não passe verniz na parte da rolha que terá contato com o interior da garrafa. Passe duas demãos intercalando secagem entre elas. 
Abaixo algumas que eu mesma fiz. Espero que sirvam de inspiração para vocês.

rolhas; reciclagem; decoração de rolhas;
Após secar bem é só colocar a rolha na garrafa. 
rolhas; reciclagem; decoração de rolhas;
 Para a garrafa mais larga eu mantive a tampa de rosca original.
rolhas; reciclagem; decoração de rolhas; garrafas recicladas
Esta é uma maneira de reciclar as rolhas de vinho mantendo a sua função original. Tampar garrafas. 

Mil bjs e até a próxima postagem (arte, viagem ou guloseimas).

BOA SORTE e SUCESSO NOS TRABALHOS!

Obrigada pela visita!!!

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

MOUSSE DE CHOCOLATE

OBA!!! HOJE TEM CHOCOLATE!!!

Mousse de chocolate é tudo de bom e maravilhoso. Sobremesa, rápida e fácil de fazer, que sempre faz bonito na mesa.
Que tal provar esta delícia? É só seguir a receita abaixo. 
sobremesa com chocolate; mousse; doce em copinho; doce em taça; morango e chocolate; sobremesa com gelatina

O chocolate que usei foi este da foto abaixo. Você pode usar o de sua preferência. Caso você use chocolate ao leite (mais doce) não coloque o açúcar ou irá ficar enjoado.
INGREDIENTES:
  • 1 tablete de chocolate meio amargo ou amargo (150 a 170 g dependendo da marca)
  • 1 caixa de creme de leite (200 ml)
  • 1 c/sopa cheia de chocolate em pó com 50% de cacau
  • 1/2 c/chá de essência de baunilha
  • 1/2 envelope de gelatina em pó sem sabor e incolor (6 g)
  • 2 c/sopa de água (para hidratar a gelatina)
  • 2 claras de ovo
  • 3 c/sopa de açúcar (cristal ou refinado)
  • Decoração: morangos, raspas de chocolate ou chantilly batido.
MODO DE PREPARO:
  1. Coloque o chocolate picado, o creme de leite e o chocolate em pó em uma pequena panela ou vasilha. 
    Leve ao fogo em banho-maria. Assim que a água ferver desligue o fogo e misture até dissolver todo o chocolate e a mistura ficar homogênea.
  2. Junte a essência. Misture com uma colher ou espátula. Reserve.
  3. Coloque a gelatina em um recipiente com a água para hidratar.
  4. Assim que a gelatina estiver hidratada, leve-a ao fogo em banho-maria até dissolver. Dica: Não deixe ferver, desligue o fogo assim que formar bolinhas na água da panela.
  5. Junte a gelatina ao chocolate misture bem. Reserve.
  6. Na batedeira bata as claras até o ponto de neve. Junte o açúcar e bata um pouco mais. Desligue a batedeira. Dica: Caso você prefira o mousse mais aerado, use 3 claras de ovo ao invés de 2. 
  7. Misture com uma colher, delicadamente, a mistura de chocolate e as claras em neve.
    O ideal é misturar a metade das claras e depois acrescentar o restante, sempre mexendo de baixo para cima. Isto é importante para não perder a aeração das claras.
  8. Distribua esta mistura em pequenas taças ou copinhos. 

  9. Coloque as taças em uma bandeja e cubra com filme plástico ou papel alumínio. Leve à geladeira para firmar (8 a 12 horas). 
  10. Ao servir decore com um morango ou com raspas de chocolate. Outra opção é decorar com chantilly batido. Use a sua imaginação e gosto.
    sobremesa com chocolate; mousse; doce em copinho; doce em taça; morango e chocolate; sobremesa com gelatina
Rendimento: 8 taças. Eu usei taças de vidro com capacidade para 150 ml. Preenchi um pouco mais da metade da taça com a mousse.
sobremesa com chocolate; mousse; doce em copinho; doce em taça; morango e chocolate; sobremesa com gelatina
Infelizmente não é possível sentir a textura e o sabor apenas olhando a foto. Mas, é possível imaginar.
sobremesa com chocolate; mousse; doce em copinho; doce em taça; morango e chocolate; sobremesa com gelatina

sobremesa com chocolate; mousse; doce em copinho; doce em taça; morango e chocolate; sobremesa com gelatina


Hummmm, que delícia!
sobremesa com chocolate; mousse; doce em copinho; doce em taça; morango e chocolate; sobremesa com gelatina

sobremesa com chocolate; mousse; doce em copinho; doce em taça; morango e chocolate; sobremesa com gelatina

Gostoso até a última porção!
sobremesa com chocolate; mousse; doce em copinho; doce em taça; morango e chocolate; sobremesa com gelatina
 Raspando a taça até o último bocado. kkkkkkkkkkkkkkkkkk. 
Mil bjs e até a próxima postagem.


BOM APETITE!!!
Obrigada pela visita. Um abraço carinhoso a todos.
                   Teresa Cintra

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

REESTOFANDO BANQUETA

TROCANDO O ESTOFADO DE ASSENTOS DE ENCAIXE
decoração; reforma de móveis; faça você mesmo

Temos um piano antigo em casa e embora ninguém seja um exímio pianista, meu marido e meus filhos gostam de dedilhar ocasionalmente. Nada muito elaborado. Eu até tomei algumas aulas de piano. Porém, não consegui fazer minha mão esquerda decifrar as partituras, nem mesmo a tentar. Foi frustrante. Rsrsrsrsrsrsrsrs.
Quando criança, eu cheguei a pedir ao meu pai que me inscrevesse no Conservatório de Música de nossa cidade. Ele não levou meu desejo a sério. Talvez porque na época não tínhamos piano em casa e nem espaço para alocar um. Não queria outro instrumento e terminei por desistir. 
Pelas minhas tentativas nos últimos tempos eu cheguei a conclusão que não era pra ser. Além de uma mão esquerda desobediente, meu ouvido não é nada musical. Frustração ao quadrado. 
Na última regulagem fomos informados que não seria mais possível a sua manutenção sem a troca de vários elementos. Algumas teclas estão totalmente desafinadas e sem condições de reparo. E o valor estava totalmente fora de cogitação. Fato agravado pela escassez de profissionais do ramo em Recife-PE.
Apesar disto tudo, todos temos um carinho especial por este instrumento de origem americana do início do século passado. Algo entre 1920 a 1940. Sempre que falamos em desfazer do piano a ideia é imediatamente eliminada. Hoje ele é mais uma peça de estimação e decoração.
O piano veio acompanhado de uma banqueta que acredito não seja da mesma década. Esta banqueta tem o seu assento estofado com um tipo de couro sintético. Até aí tudo bem. O estofado ainda está em boas condições, mas a cor...  É horrorosa. CINZA. 
banqueta para piano; reforma de móveis; estofando banqueta; estofando banco; grampeador rocama;
Como é que alguém escolhe uma cor destas para a banqueta de um piano clássico? Apesar de odiar esta escolha ainda não tinha criado coragem para mudá-la. Até o dia em que troquei o estofado de minhas cadeiras.
Fiquei olhando os retalhos que sobraram e bateu aquela urgência de trocar o estofado da banqueta (depois de alguns anos pensando nisto. KKKKKKKKKKK).
Aproveitei a deixa do momento e fiz a troca. Vejam se não ficou melhor?
Uma boa opção seria usar veludo vermelho. Ficaria bem tradicional e levantaria o visual. Mas, por que gastar com tecido se tinha sobra de minhas cadeiras? Para concluir a decoração resolvi deixar as duas cadeiras excedentes ao lado do piano. (Lembram? Tenho 6 cadeiras medalhão, mas só deixo 4 em minha mesa de refeição). Gostei do visual final. E tenho a vantagem de ter as cadeiras próximas caso chegue uma visita.
banqueta para piano; reforma de móveis; estofando banqueta; estofando banco; grampeador rocama;
Quem viu minha postagem anterior sobre o estofamento das cadeiras, irá ver que este trabalho é muito mais fácil e prático. Isto porque o assento sai da banqueta o que facilita o serviço. O tecido será fixado na parte de baixo do assento e dispensa maiores acabamentos.
banqueta para piano; reforma de móveis; estofando banqueta; estofando banco; grampeador rocama;

Como o meu assento tinha certa folga na banqueta e a espuma não seria trocada, eu nem sequer tirei o forro anterior. Isto mesmo eu coloquei o novo tecido sobre o velho. Se você for trocar algum estofado de banqueta, banco ou cadeira que seja similar ao meu, primeiro veja se terá que retirar ou não o tecido velho. Neste caso, use uma chave de fenda e alicate para retirar os grampos e o tecido.
Além do encaixe ser justo, pode acontecer de precisar trocar a espuma do assento. Se este for o seu caso use espuma com 5 cm de altura (D28).
Se vocês quiserem ver com maiores detalhes como eu fiz, estou disponibilizando abaixo os materiais empregados e o passo-a-passo detalhado.

MATERIAIS NECESSÁRIOS:
  • Banqueta
  • Tecido para estofaria (ideal que seja impermeável) 
  • Alfinetes de costura
  • Termolina leitosa caseira ou industrial.
  • Pincel chato fino
  • Fita crepe adesiva
  • Grampeador do tipo revólver Grampeador Rocama para artesanatos ou o específico para profissionais: Grampeador Pneumático.
  • Grampos galvanizado específico para estofar de acordo com o seu grampeador (eu usei o de referência 106/6)
  • Martelo
PASSO-A-PASSO:
  1. Meça a largura e altura do assento para calcular o tamanho necessário do tecido. Inclua em sua medida a quantidade que será puxada para baixo do assento.
  2. Providencie os materiais necessários. O grampeador é próprio para estofar. Não use aquele escolar ou de escritório. Não dá certo. O grampo deve ter as pontas pontiagudas para melhor penetração na madeira e ser compatível com o seu grampeador.
  3. Se o seu tecido não for liso, veja como o tecido escolhido será cortado para melhor adequar a estampa ou listras. Como no meu caso era um retalho, não consegui centralizar o desenho maior. Mas, procurei fazer de tal forma que as demais flores não ficassem cortadas ao meio e ficassem melhor distribuídas no assento. Se precisar, use alfinetes de costura para fixar o tecido.
  4. Meça o tecido de acordo com a medida tomada anteriormente ou corte usando o próprio assento como molde. Não se esqueça de deixar sobra em todas as laterais que serão puxadas para baixo.
  5. Como o meu tecido desfia bastante eu contornei a beirada das laterais com termolina leitosa caseira com um pincel chato fino. Frente e verso. Dica: A termolina leitosa eu usei a caseira (receita AQUI). 
  6. Deixe a termolina secar bem e corte os fios soltos. 
  7. Vire o tecido com o lado do avesso para cima. Coloque o assento sobre o mesmo com a parte de baixo também para cima. Dica: Para melhor aproveitamento da figura de rosas maior, que estava próxima de uma das extremidades, eu optei por começar a fixar o tecido neste ponto. Também optei por deixar uma margem pequena de tecido para manter o máximo possível do desenho no assento. Para isto usei fita crepe para fixar o tecido na posição desejada.
  8. Municie seu grampeador e comece a fixação por um dos lados. Não coloque grampo nas extremidades da extensão do assento onde será feito o canto (veja mais abaixo). Dica: como o lado que fixei com fita crepe era o que tinha uma menor sobra de tecido, eu comecei por ali.
    banqueta para piano; reforma de móveis; estofando banqueta; estofando banco; grampeador rocama;
  9. Use o martelo para melhor introduzir os grampos, se necessário.
  10. Retire a fita crepe e se necessário coloque mais grampos para uma melhor fixação do tecido.
  11. Faça a fixação do lado contrário ao que foi feito e depois faça as laterais. Tenha o cuidado de deixar os cantos sem fazer.
     
  12. Faça os cantos do assento. Puxe a ponta para cima em direção ao centro do assento. Tenha cuidado para não formar dobras na lateral do assento que irão dificultar o encaixe na banqueta. As dobras devem ficar apenas no fundo do mesmo. 
  13. Fixe as pontas com o grampeador.
  14. Vire o assento e veja se o resultado final está do seu agrado.
  15. Encaixe o assento na banqueta. Ele deve encaixar sem dificuldades.
    banqueta para piano; reforma de móveis; estofando banqueta; estofando banco; grampeador rocama; impermeabilizando tecido.
  16. Se o seu tecido não for impermeável não deixe de providenciar a sua proteção. Dica: veja maiores detalhes AQUI
Vejam como ficou linda minha banqueta junto ao piano.
banqueta para piano; reforma de móveis; estofando banqueta; estofando banco; grampeador rocama;

E para tirar dúvidas se valeu a pena o trabalho, posto o antes e depois.
banqueta para piano; reforma de móveis; estofando banqueta; estofando banco; grampeador rocama;

Para quem se animar: 

BOA SORTE e SUCESSO NOS TRABALHOS!

Obrigada pela visita!!!