Translate

segunda-feira, 30 de março de 2015

PRATO DECORADO COM DECOUPAGEM

DECOUPAGEM EM PRATO TRANSPARENTE

A decoupagem é uma técnica extremamente fácil e com várias aplicações no artesanato.
Hoje eu vou postar um trabalho que fiz usando prato transparente incolor. Fica um trabalho lindo e exclusivo.
 DECOUPAGEM
Confiram o material e o passo-a-passo abaixo:
MATERIAIS NECESSÁRIOS:
  • Prato em vidro transparente incolor e liso (duralex)
  • Guardanapo para decoupagem com o tema a seu gosto
  • Tinta látex ou acrílica na cor branca  
  • Tinta látex ou acrílica na cor desejada (ou prepare sua tinta com corante líquido e tinta branca).
  • Termolina leitosa ou Cola branca extraforte (rótulo azul) diluída ou cola para decoupagem
  • Um pincel fino e outro largo
  • Um rolinho de espuma
  • Recipiente com água (para lavar os pinceis)
  • Lixa (lixa d'água, madeira ou unha. Use o que tiver em casa)
  • Plástico grande, jornal ou outro material para forrar a mesa de trabalho. 
  • Pedaço de pano de limpeza
  • Álcool líquido
  • Um pedaço de saco plástico (limpo e seco)
  • Tinta dourada para dar acabamento ao trabalho (opcional)
  • Verniz geral ou goma laca ou verniz vitral (sempre incolor)
  • Vidro líquido (opcional)
PASSO- A-PASSO:
  1. Forre sua mesa de trabalho ou bancada com plástico ou jornal. Dica: eu uso uma cortina tipo blackout velha que guardo para este fim.
  2. Lave e seque o prato.
  3. Limpe bem com o pano de limpeza e o álcool para tirar qualquer vestígio de gordura. Dica: como o trabalho irá ser feito no fundo do prato, concentre sua atenção nesta área. Não use álcool gel.
  4. Abra o guardanapo escolhido sobre uma superfície. Escolha a parte que será colada e corte-a. Dica: Como eu iria cobrir todo o prato com o guardanapo não o cortei. Mas, se você for fazer a colagem apenas em uma parte do prato, sugiro que o corte.
  5. Separe as películas do guardanapo com cuidado. São três películas bem finas e frágeis. Você irá usar apenas a que contem a estampa.
  6. Hora de preparar o prato para colar o guardanapo. Emborque o prato e passe com um pincel largo a termolina leitosa (ou cola branca diluída) sobre o fundo do prato.
    Dica: eu usei termolina leitosa caseira, receita já postada anteriormente (http://teresacintra.blogspot.com.br/2015/03/termolina-caseira.html).
  7. Coloque a figura em cima com cuidado para não rasgar ou enrugar muito. Lembre-se que a parte do direito do desenho deve ficar voltada para o prato, com o avesso para cima. Coloque o mais esticado possível, o que não é nada fácil. Mas, não entre em desespero. No final tudo dá certo. kkkkkkkkkkkkk. Dica: algumas pessoas preferem ir colando o guardanapo aos poucos. Neste caso passe a cola apenas na parte que será colado o guardanapo. Alise a área com cuidado, levante a parte do guardanapo ainda sem cola e passe cola em outra parte do prato. Vá repetindo o processo até terminar todo o prato. Como eu sou mais agoniada, passei a cola em todo o prato de uma vez. kkkkkkkkkkkkkkk. Faça como você preferir.
  8. Retire as rugas e bolhas: Sobre o guardanapo recém-colocado e ainda úmido coloque um pedaço de plástico e passe um rolinho de espuma (ou trouxinha de pano) com cuidado. Faça movimentos circulares firmes com leve pressão, mas sem usar muita força. Dica: Os movimentos devem ser feitos de dentro para fora. Desta forma você irá evitar ou pelo menos minimizar as rugas e bolhas no papel, além de garantir que o guardanapo fique bem colado. Retire o plástico com cuidado.
  9. Deixe secar bem ou use um secador de cabelo (ou soprador) para este fim antes de passar para a próxima etapa.
  10. A parte excedente do papel não deve ser cortada, cole-a primeiro e, depois que secar bem, use uma lixa para raspar o excesso de papel. O resultado final fica melhor que usar tesoura. Dica: Nesta etapa você pode optar por deixar todo o papel excedente ou cortar a parte excedente para poder lixar. As duas maneiras dão certo e o resultado final é o mesmo. 

  11. Com um pincel largo e macio passe a termolina leitosa ou cola diluída por cima do guardanapo, sempre com movimentos suaves até cobrir todo o papel. Não se esqueça das bordas. Passe duas demãos intercalando secagem. Dica: Deixe a cola secar bem para dar prosseguimento ao trabalho. Não se assuste com a cor esbranquiçada da cola sobre o papel. Depois que secar, irá ficar transparente e sem manchas.
  12. Agora observe o seu prato com bastante atenção. É o momento de decidir se o seu prato será transparente ou opaco. Veja se o efeito transparente do guardanapo escolhido está do seu agrado. Vire o prato dos lados e observe. Como o meu guardanapo floral o motivo principal era bem claro, eu não achei que ficaria legal deixá-lo transparente. O desenho não ficou bem nítido, então resolvi pintar o fundo.
  13. Eu fiz dois pratos. Um com motivo floral (margaridas) e outro com motivo natalino. No trabalho com o guardanapo floral, escolhi uma cor que combinasse com o mesmo. Um ocre bem clarinho. Dica: Eu preparei minha própria tinta misturando tinta látex branca com corante líquido a base de água + água. Usei sobra de tinta de uma pintura em meu apartamento. A adição de água é necessária para a tinta ficar mais fluida e facilitar a pintura, mas não exagere. A cor e marca do corante fica por sua opção. Coloque o corante aos poucos até obter a cor desejada.
  14. No trabalho com o guardanapo com motivo natalino (que é bem desenhado e também não ficaria legal transparente) eu resolvi que o fundo deveria ser vermelho. Mas, como esta é uma cor muito escura e poderia "apagar" o desenho do guardanapo, dei duas demãos de tinta clara antes. Pode ser tinta branca ou a mesma do prato anterior. Optei pela tinta que sobrou do outro prato.
    Dica: Para a tinta do fundo misturei tinta branca com corante vermelho e corante preto. Como precisava de pouca quantidade de tinta, eu coloquei tinta branca em um frasco pequeno e vazio. Primeiro misturei o corante vermelho e quando estava com uma cor bem viva pinguei duas gotas do corante preto, apenas para fechar um pouco a cor. Gostei do resultado.
  15. Você pode usar a cor de sua preferência, escolha alguma que tenha a ver com o guardanapo escolhido. Mas é importante lembrar que a cor diretamente pintada sobre o guardanapo, não pode ser escura, senão o desenho do guardanapo irá ficar apagado. Por este motivo primeiro pinte esta área na cor branca ou bege claro ou ocre claro. Só depois, aplique a cor escura. 
  16. Passe duas demão de tinta branca (ou outra cor bem clarinha) com o rolinho de espuma em todo fundo do prato cobrindo totalmente o guardanapo, intercalando um período entre elas para secagem.
    É importante que a pintura fique bem uniforme. Como a cor que escolhi para o acabamento do prato com motivo floral era bem clarinha, fiz a pintura de base com ela mesma. 
    Dica: Se você for do tipo apressada (como eu) use um secador de cabelos para agilizar o processo. 
  17. Nesta etapa você irá observar que algumas dobras do papel se mostram bem evidentes e precisam ser lixadas até que não sejam sentidas ao toque. Com um paninho limpo e seco tire o pó resultante do processo. Dê mais uma demão da tinta para igualar a pintura. Dica: Se você observar a formação de pequenas bolhas na superfície do prato é porque a tinta está muito diluída. Diminua a quantidade de água acrescentando mais tinta. Mexa bem e coloque mais corante se for necessário.
    Caso você tenha optado pelo prato transparente faça o lixamento das dobras após aplicar duas camadas do verniz escolhido na finalização do trabalho. Neste caso aplique uma terceira camada de verniz após terminar de lixar.  
  18. Depois das duas demãos da tinta base, passe a tinta com a cor escolhida para o fundo do trabalho. Dica: como meu prato floral foi pintado anteriormente já com a tinta de fundo, passei apenas mais uma demão no mesmo.
    Já o prato natalino precisou de duas demãos de tinta vermelha (aquela que descrevi no item 13) para cobrir bem a pintura anterior, com intervalo de secagem. 
  19. Depois que secar bem, assine o seu trabalho. Dica: Eu usei tinta fosca para artesanato preta e um pincel bem fino. Você pode usar a cor que quiser ou mesmo usar uma caneta com tinta permanente.
  20. Avalie seu trabalho e faça as correções que julgar necessário. Eu achei que ficaria legal fazer o contorno do prato com tinta acrílica dourada. Este acabamento é opcional, mas dá um toque maravilhoso ao trabalho. 
  21. Hora de finalizar o trabalho com o verniz acrílico ou goma laca incolor ou verniz vitral incolor ou vidro líquido. Use sempre um pincel macio ou esponja para não marcar a pintura. Passe pelo menos duas camadas, sempre intercalando secagem entre elas. Dica: O verniz é importante para impermeabilizar e proteger o trabalho, facilitando futuras limpezas do prato. Deve ser passado em toda pintura, isto é, em todo o fundo (baixo) do prato. Não passe verniz na parte interna (superior) do prato. No comércio e lojas de artesanato existem várias opções de marcas: Diara, Gato Preto, Acrilex e outras. Escolha a marca que melhor lhe agrada ou que esteja mais acostumada. A marca é opcional, mas o tipo de verniz irá depender da utilização do trabalho. Se o prato for apenas decorativo use verniz acrílico ou goma laca sempre incolor. O verniz acrílico usa a água como solvente. No caso da goma laca o solvente indicado é o álcool que pode ser o "álcool goma laca indiana" ou o que você tem em casa. Se você vai usar o seu prato normalmente e não apenas para decoração eu sugiro o uso do verniz vitral para uma maior durabilidade do trabalho. O vidro líquido também pode ser usado. Lembrando que o verniz cristal necessita de solvente próprio ou thinner (algumas pessoas usam aguarrás). Já o vidro líquido vem com dois frascos que devem ser misturados para ser aplicado (veja as recomendações do rótulo antes) e requer solvente para a limpeza do pincel. Tanto o verniz vitral, como o vidro líquido, deve ser utilizados em ambiente bem arejado e requerem o uso de máscara e luvas no seu manuseio.
  22. Para este trabalho eu escolhi, inicialmente, a goma laca como proteção.
    Mas gostei tanto do resultado final do prato que resolvi passar verniz vitral para poder usá-lo como utensílio de serviço de mesa. E, como se não fosse suficiente, resolvi fazer alguns pratos de sobremesa com o mesmo motivo floral. No prato que eu tinha passado goma laca, esperei que secasse bem e passei o verniz vitral por cima. Nos novos pratos, eu passei o verniz vitral direto sobre a pintura.
    Dica: utilizar este trabalho para servir alimento só é possível porque a comida não terá contato direto com os produtos químicos utilizados. Afinal, a colagem e pintura foi toda realizada no fundo do prato. A opção do verniz é apenas para proteção do trabalho na sua limpeza eventual ou diária dependendo do uso. Sei que estou um pouco repetitiva nesta questão, mas é de suma importância que isto fique bem claro. Caso você faça o trabalho na parte de dentro do prato, este deverá ser usado apenas como peça decorativa.
Prontinho, trabalho terminado! 
Querem ver como ficou? Frente e verso dos pratos.

 DECOUPAGEM


DECOUPAGEM
Use o seu prato decorado como preferir. Ou quem sabe ofertar como uma linda lembrança. Ou vendê-lo.
Estes são meus. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.
DECOUPAGEM


DECOUPAGEM
Eu não consegui ficar apenas nestes dois pratos e fiz 8 pratos de sobremesa com o tema floral.
DECOUPAGEM
Como cada etapa tem o seu tempo de secagem e isto leva algumas horas, o ideal é fazer vários pratos ao mesmo tempo. Desta maneira quando você terminar o último prato é o momento de começar a próxima etapa com o primeiro. E você não corre o risco de ficar agoniada e atropelar o tempo de secagem. Você irá precisar de um lugar para deixar os pratos secarem. 

Espero que vocês tenham gostado e não deixem de fazer.  É viciante.
☺IMPORTANTE: Para limpar o prato utilize apenas um paninho úmido. Nunca use material abrasivo sob o risco de danificar a decoupagem e a pintura. Caso seja necessário lavar, este procedimento deve ser rápido e com detergente neutro e esponja macia. Enxague imediatamente e segue em seguida. Não o deixe de molho ou empilhado com outras louças. Nunca o coloque em máquina lava-louça, nem em microondas ou forno convencional, mesmo que o prato utilizado seja do tipo duralex ou refratário. Este é um trabalho artesanal e não industrial.
DECOUPAGEM

BOA SORTE e SUCESSO NOS TRABALHOS!


Obrigada pela visita!!!

ATUALIZAÇÃO EM 20 SET 2015:
         Olá, amigos! 
      Algumas pessoas têm perguntado sobre a utilização dos pratos decorados para uso como utensílio de mesa. Só quero lembrar novamente da necessidade, neste caso, do uso de um verniz que proteja a peça de umidade. Também, com relação à limpeza, é preciso seguir os cuidados que listei acima. Nunca empilhe seus pratos com outros objetos pontiagudos e ásperos. Como no caso de garfos, facas, palha de aço e outros utensílios. O trabalho é delicado. 
      Eu uso meus pratos em momentos especiais e providencio sua limpeza logo após o uso, sem deixá-los de molho ou empilhados com o restante da louça. Também procuro enxugar imediatamente à lavagem. 
      Vejam alguns momentos em que eu fiz uso de meus pratos decorados, sem medo de ser feliz:


Receita da termolina leitosa:

segunda-feira, 23 de março de 2015

BOLO DE MACAXEIRA

BOLO DE MACAXEIRA OU SERÁ DE AIPIM?

Mandioca; macaxeira; aipim; bolo
Eu disse macaxeira? Mas..., não seria mandioca ou aipim? 
A mandioca é classificada em mandioca-mansa (ou mandioca-doce) e mandioca-brava. Esta última não pode ser consumida fresca, mas apenas depois de processada para tirar o "veneno" (toxina denominada ácido cianídrico presente em grande quantidade na mandioca-brava). 
Dentro desta divisão cada região usa um nome diferente para a mesma raiz.
Aqui no Nordeste o termo macaxeira é a mandioca-doce e mandioca é a mandioca-brava. 
No sul e no sudeste o termo mais usado para a macaxeira-doce é aipim.
Mas, não se preocupe apenas a mandioca-doce é comercializada in natura. A mandioca-brava tem como destino principal as fábricas de farinhas. 
Afinal o que é mandioca?
Mandioca é um arbusto originário dos Andes peruanos e era cultivada por várias nações indígenas da América Latina. 

No Brasil, a mandioca ou macaxeira (raiz) é consumida cozida ou frita, como farinha (farinha d'água, farinha de mandioca ou tapioca), polvilho doce ou azedo (fécula de mandioca) que são responsáveis pela elaboração de vários pratos de nossa culinária. 
Na grande maioria do território nacional, somente a raiz é aproveitada. Apenas na região norte há relato do uso das folhas em receitas típicas. 
Algumas receitas são tão exclusivas que se tornaram patrimônio de alguns estados.
Na Amazônia, Amapá e Pará temos o tacacá com tucupi e a maniçoba. No Maranhão temos a tiquira uma espécie de cachaça de mandioca. Em Minas Gerais temos o pão de queijo que rompeu fronteiras e tornou-se popular em quase todo país. No Norte e Nordeste temos a tapioca que virou febre nacional entre os adeptos da dieta sem glúten com a famosa crepioca. Uma espécie de crepe feito com a tapioca. Em algumas comunidades indígenas ainda é comum o preparo de bebida destilada denominada cauim (nem me perguntem o gosto, pois nunca provei). 

Hoje vou postar uma receita bem simples, fácil de fazer e bem conhecida em nosso imenso e diversificado país: Bolo de macaxeira. 
Mandioca; macaxeira; aipim; bolo
Mandioca, macaxeira ou aipim, tanto faz. É tudo a mesma coisa. 
No Nordeste é bolo de macaxeira, no Rio de Janeiro é de aipim, em Minas Gerais é de mandioca. E é provável que a mesma receita leve outro nome em outras localidades do país. Quem souber de algum diferente que se manifeste. Vou ficar aguardando para colocar em uma atualização da postagem.
Mas, quem se importa com o nome se o sabor é maravilhoso? Ninguém. 
Eu quero é mais uma fatia desta delícia, que regime só na semana que vem. rsrsrsrsrsrsrs.
Ideal para acompanhar um cafezinho preto bem quentinho e coado na hora.

Que tal deixarmos o papo furado e passar a receita? 

INGREDIENTES:
  • 1 kg de macaxeira crua
  • 1 lata de leite condensado
  • a mesma medida de leite (usar a lata do leite condensado como medida)
  • 200 ml de leite de coco (1 vidro)
  • 4 ovos inteiros
  • 1/2 xíc/chá de açúcar
  • 1 c/sopa rasa de manteiga em temperatura ambiente
  • 100g de coco ralado (fresco ou industrializado)
MODO DE PREPARO: 
  1. Pré-aqueça o forno a 200ºC.
  2. Unte uma forma, assadeira ou pirex com manteiga e polvilhe açúcar. Reserve. Dica: esta é uma receita sem farinha de trigo. Quem quiser pode polvilhar farinha no lugar do açúcar, mas se estiver em dieta sem glúten use o açúcar ou apenas a manteiga. Importante que o pirex deve ser próprio para ir ao forno.
  3. Rale a macaxeira em ralo fino. Dica: Se você acha trabalhoso ter que ralar a macaxeira; pique-a e bata no liquidificador (tecla pulsar até ficar a seu gosto) com o leite e o leite de coco em pequenas porções por vez. Foi o que eu fiz. 
  4. Coloque em uma tigela a macaxeira ralada, o leite de coco, o leite comum, o leite condensado, os ovos inteiros, o açúcar, a manteiga e o coco ralado. Misture tudo com um fouet (batedor manual). Uau!!! Que maravilha não precisar da batedeira! 
  5. Despeje a massa na forma refratária (pirex) untada e polvilhada com açúcar.
    Dica: eu usei um pirex redondo grande e fundo. Você pode usar um pirex quadrado ou retangular. 
  6. Leve ao forno pré-aquecido a 200ºC para assar por 30 minutos. 
  7. Após os 30 minutos iniciais passe a temperatura para 180ºC e deixe mais 30 minutos. O tempo total é de uma hora para assar. Dependendo da regulagem do forno pode ser um pouco mais ou menos.
    Mandioca; macaxeira; aipim; bolo
    Dica: para não queimar o fundo do bolo, coloque uma assadeira com água na prateleira de baixo neste tempo final de cozimento.
  8. Sirva o bolo na própria forma ou desenforme-o ainda morno.
    Mandioca; macaxeira; aipim; bolo

Esta receita também pode ser assada em banho-maria deixando o bolo com uma consistência e aspeto de pudim. Para isto é necessário o uso de forma para pudim tipo anel ou outra de sua preferência. O importante é que a forma seja alta para ficar como um pudim. Após o tempo de cozimento total (1 hora), retire do forno e deixe amornar para desenformar. O tempo de cozimento pode ser um pouco maior de acordo com o seu forno e altura do pudim. No caso de assar em banho-maria não precisa colocar a assadeira com água na prateleira de baixo como sugerido no item 6.


Agora é só coar aquele cafezinho e reunir a família e amigos para um bom bate-papo de fim de tarde.
Mandioca; macaxeira; aipim; bolo
É uma receita que rende um bolo grande. Meu pirex tem 26 cm de diâmetro por 5 cm de altura. Você pode dividir a massa em formas menores ou fazer apenas a metade da receita. Lembrando-se apenas que o tempo para assar será menor sempre que você diminui a quantidade de massa ou o tamanho das formas. Depois dos 30 minutos iniciais fique atenta para não ressecar muito ou queimar. 
Mandioca; macaxeira; aipim; bolo
O bolo fica bem molhadinho e pouco doce (como eu prefiro). Se você gosta de mais doce aumente um pouco a quantidade do açúcar.
Mandioca; macaxeira; aipim; bolo

Gostaram?

Se vocês fizerem esta receita, me enviem as fotos. Vou colocá-las na atualização do link. 
Beijocas e até a próxima receita (ou arte).


BOM APETITE!!!

Obrigada pela visita. Um abraço carinhoso a todos.
                   Teresa Cintra

quinta-feira, 19 de março de 2015

TERMOLINA CASEIRA

A Termolina Leitosa é um líquido branco leitoso, mas ao secar fica transparente e não deixa manchas no trabalho.
Para os que amam fazer artesanato a Termolina Leitosa é um impermeabilizante de materiais porosos que não pode faltar em nossa relação de itens necessários. 

Sua aplicação é bem ampla e vasta, vejam alguns exemplos: 
- Impermeabilizar papel, tecidos (algodão) e isopor;
- Engomar e endurecer peças de tapeçaria, crochê e bordados;
- Encorpar e evitar o desfiamento de costuras, patchwork, bordados vazados;
- Impermeabilizar bolsas de tecidos;
- Fazer decoupagem com tecido, papel ou guardanapo, substituindo a cola branca;
- Impermeabilizar papeis de decoupagem que receberão vitrificação a frio, vernizes ou laca como acabamento. O uso da termolina caseira neste caso evita manchar o papel.

Por ser atóxica e solúvel em água é uma boa escolha, além de ser facilmente removida dos pinceis e da bancada de trabalho.

Existem várias marcas no mercado com um preço bem reduzido se considerar a relação custo x benefícios. Tenho certeza que as principais marcas já são bem conhecidas por vocês, não importa se aprendiz (como eu) ou artesão consagrado. 
Mas, que tal preparar a sua própria termolina leitosa? 
Pesquisando na internet encontrei uma receita caseira que testei pessoalmente e comprovei sua eficácia. Deu certo e a fórmula é bem simples e fácil de preparar.
impermeabilização tecido, artesanato
A medida a ser usada pode ser xícara (chá ou café), colher, copo, dependendo da quantidade desejada.
Se você precisar de uma quantidade grande use a xícara ou copo. Neste caso coloque duas xícaras de cola + 1 xícara de água + 1/2 xícara de álcool. Pode ser xícara de chá ou café. Mas, use a mesma xícara para todos os ingredientes. O mesmo vale para o copo ou colher.
Use sempre cola branca extra forte, aquela do rótulo azul muito usada em artesanato. Tem várias marcas boas no mercado. 
Dicas e cuidados importantes, a saber, sobre a termolina:
► A termolina caseira não leva conservantes e não pode ser guardada. Faça apenas a quantidade necessária para o uso imediato. O que sobrar deverá ser jogado fora.
► O tecido que receberá a termolina deve ser de algodão, estar sem goma e bem seco. Normalmente ao ser comprado o tecido vem engomado. Molhe-o para retirar totalmente a goma (não use sabão) e pendure no varal para secar bem antes de ser empregado.
► Se você for recortar o tecido para depois colar sobre alguma superfície, passe primeiro a termolina antes de cortá-lo. É importante passar pelo menos duas demãos de cada lado do tecido, com intervalo de secagem entre elas.
► Ao usar a termolina sobre pintura em tecidos, espere a pintura secar bem antes da aplicação.
► Por ser solúvel em água e consequentemente não resistir a lavagens sucessivas, alguns cuidados devem ser seguidos para melhor conservação do trabalho com termolina:
  • Peças artesanais a base de vidro, madeira e isopor, depois que a termolina estiver bem seca, devem ser protegidas com verniz incolor, goma laca ou vidro líquido.
  • A secagem da termolina em tecido leva de 2 a 4 horas para poder dar continuidade ao trabalho. Entretanto, a secagem total e fixação da termolina no tecido requer um tempo bem maior: 72 horas (3 dias). A primeira lavagem, após conclusão do trabalho, deve obedecer este tempo rigorosamente.
  • Trabalhos de crochê, bordados, tapeçarias e outros que não puderem ser protegidos com verniz, você deve aplicar a termolina novamente sempre que o mesmo ficar maleável ou for lavado sucessivamente. O ideal é uma nova aplicação a cada 3 lavagens.
► Limpeza: Lembrando que todo trabalho artesanal deve ser tratado como tal. Ao contrário dos trabalhos industrializados sua conservação e durabilidade dependem muito da maneira como cuidamos dos mesmos. A limpeza deve ser feita com pano úmido ou uma esponja macia. Nunca utiliza palha de aço para limpar o trabalho.
Caso precise lavar o material, como no caso de vidros (pratos, copos, travessas), tecidos e linhas (panos de pratos, roupas, bolsas, chapéus) e outros, use água corrente em temperatura ambiente (nunca quente) e detergente ou sabão neutro. Não deixe o trabalho de molho. Jamais coloque o seu trabalho em uma máquina lava-louças.

BOA SORTE e SUCESSO NOS TRABALHOS!


Obrigada pela visita!!!