Translate

sexta-feira, 26 de julho de 2013

DÉCOUPAGE - CAIXA DE CHÁ

 CAIXA DE CHÁ COM DECOUPAGE

Há muito tempo que queria uma caixa para guardar os envelopes de chá de maneira organizada e bonita. As embalagens originais podem ser práticas, mas não embelezam nenhuma mesa. Além do mais, em uma mesma caixa é possível colocar vários sabores e deixar que cada um escolha o seu preferido.

Depois de procurar no comércio as opções disponíveis, resolvi fazer minha própria caixa em artesanato. Algo que me agrada bastante.

A técnica que escolhi foi a découpage.
CAIXA: ARTESANATO; DECORAÇÃO; FAÇA VOCÊ MESMO; DECOUPAGEM;

Consiste em um artesanato que usa a técnica de colagem de guardanapo, jornais, revistas, fotos, papéis de presente e qualquer outro tipo de papel ou mesmo tecidos.

Hora de adquirir e juntar todos os materiais necessários:

- Caixa em MDF para chá. Nas lojas para artesanato existem vários modelos e tamanhos. Escolhi um modelo que acomodasse três tipos de chá. Não queria nada muito grande que ocupasse muito espaço na mesa.

- Guardanapo. Para o tamanho da caixa escolhida um único guardanapo foi suficiente. Existem várias opções de estampas e cores, cada um mais lindo que o outro. Optei por um com várias xícaras de chá.

- Lixa fina para madeira.  
- Tinta latéx ou acrílica na cor branca.   
- Tinta para artesanato na cor desejada. Para fazer detalhes ou pintar as áreas que não receberão a colagem. Eu usei um resto de tinta latéx marrom que tinha em casa. E comprei uma tinta dourada para dar acabamento ao trabalho.
- Cola branca extra forte.
- Um pincel fino e outro largo.
- Um rolinho de espuma.
- Recipiente com água para lavar os pinceis.
- Tesoura ou estilete.
- Plástico grande, oleado ou outro material para forrar a mesa de trabalho. Eu tenho uma velha cortina de blackout que guardo para estas ocasiões.
- Pedaço de pano de limpeza.
- Um pedaço de saco plástico (limpo e seco).
- Chave de fenda.
- Verniz acrílico a base de água.

PASSO A PASSO:
  • Tire o visor de vidro e as divisórias de dentro da caixa.
  • Com a chave de fenda, desparafuse as dobradiças da tampa e guarde com cuidado para não perder.
  • Lixe a caixinha. É necessário tirar as rebarbas e irregularidades da madeira.
  • Limpe bem com o paninho, tirando toda a poeira e pó da madeira.
  • Passe duas demão de tinta branca com o rolinho de espuma em toda a caixa, intercalando um período entre elas para secagem. Se você for do tipo apressada use um secador de cabelos para agilizar o processo.
  • Como a cor básica de minha caixa era branca, passei uma terceira demão de tinta, para ficar com uma cobertura mais uniforme. Você pode usar a cor de sua preferência, escolha alguma que tenha a ver com o guardanapo escolhido. Mas é importante lembrar que a cor de fundo não pode ser escura, senão o desenho do guardanapo irá ficar apagado. 
ATENÇÃO: Cuidado ao pintar internamente para não obstruir as ranhuras que receberão as divisórias. Algumas pessoas fazem a opção em não pintar o interior da caixa, deixando a madeira natural. Eu gosto de pintar ou colar algum papel para dar um melhor acabamento. É questão de gosto.

  • Com a tinta marrom e o pincel fino fiz o contorno na tampa, no visor e na base da caixa. Apenas para fazer um contraste com o branco da caixa. Deixei secar.
  • Abra o guardanapo sobre uma superfície. A mesma figura se repete por quatro vezes. Dependendo do tamanho do trabalho você irá usar apenas uma parte do papel. 
  • Escolha a melhor forma de dispor as figuras na caixa. Brinque com os desenhos antes de colar, até escolher a disposição que mais lhe agradar.
  • Recorte as figuras com a tesoura ou com as mãos. Preferi rasgar com as mãos para ficar irregular e não realçar as bordas do papel após a colagem.
  • Separe as camadas do guardanapo com cuidado. São três camadas bem finas e frágeis. Despreze as sem o desenho. Você irá usar apenas a que contem a estampa.

  • Com um pincel largo passe a cola diluída a 50% (metade cola e metade água) sobre a superfície escolhida.
  • Coloque o guardanapo sobre a cola com cuidado para não rasgar. 
  • É neste momento que vem o “pulo do gato” um pequeno truque que muitas vezes não é repassado e que pode fazer toda a diferença no resultado final do trabalho: Sobre o guardanapo coloque aquele pedaço de saco plástico que estava separado e com o paninho, faça movimentos circulares de dentro pra fora do desenho. Movimentos suaves, porém firmes. Desta forma você irá evitar ou pelo menos minimizar as rugas e bolhas no papel. No lugar do paninho, você pode usar um rolinho de espuma seco, nunca os dedos.
  • Retire o plástico com cuidado. Deixe secar e passe mais uma camada de cola diluída sobre o guardanapo. Se você fizer este processo antes da secagem do papel, ele pode romper, sendo necessário a sua retirada para substituição.
  • Deixe secar bem.
  • Personalize a caixa ao seu jeito. Arabescos nos cantos, pequenos toques de cor ou sombras aqui e acolá.

  • Eu optei por usar um toque de dourado sobre as tinta marrom anteriormente pintada em algumas partes da caixa e em linhas sinuosas para preencher um pouco o branco do fundo e fazer um link com todas as figuras.
  • Colei o guardanapo na tampa (exterior e interior), laterais e parte posterior da caixa. Exagero? Não sei, talvez. Mas o efeito final me agradou bastante.
    CAIXA: ARTESANATO; DECORAÇÃO; FAÇA VOCÊ MESMO; DECOUPAGEM;
  • Hora de finalizar o trabalho com o verniz acrílico. Brilho, semi-brilho ou fosco, fica ao critério de cada um. Passe pelo menos duas camadas, sempre intercalando secagem.
O verniz é de suma importância para proteger o trabalho e facilitar futuras limpezas na caixinha. Limpeza que deverá ver feita com um pano úmido.
  • Agora é deixar secar bem o verniz, recolocar as dobradiças, visor de vidro e divisórias no lugar.
    CAIXA: ARTESANATO; DECORAÇÃO; FAÇA VOCÊ MESMO; DECOUPAGEM;

    CAIXA: ARTESANATO; DECORAÇÃO; FAÇA VOCÊ MESMO; DECOUPAGEM;

Prontinho! Trabalho finalizado.
CAIXA: ARTESANATO; DECORAÇÃO; FAÇA VOCÊ MESMO; DECOUPAGEM;
E então que tal um chá?

Está animada para fazer sua caixinha? Ou quem sabe outra peça? Um porta chave, uma caixa para pequenos objetos. Ou um móvel, como uma cômoda, um banco, uma cadeira...

Solte sua imaginação, viaje nos papeis de presente e guardanapos, e simplesmente comece. Dar o primeiro passo é sempre mais difícil. Depois você não que parar mais. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.


Mil bjs e até a próxima postagem (arte, viagem ou guloseimas).

BOA SORTE e SUCESSO NOS TRABALHOS!

sexta-feira, 19 de julho de 2013

HORTALIÇAS NO APARTAMENTO

HORTA NA VARANDA


Nada mais gostoso do que usar um tempero fresco, recém-colhido, em uma receitinha caseira. É uma forma carinhosa de dar um toque especial ao prato preparado. 
HORTA NA VARANDA; jardinagem
O difícil é conseguir o tempero fresco e em boas condições quando se mora em apartamento. Muitas vezes as verduras e temperos dos supermercados já estão murchos ou amarelados.

Então pensei em plantar uma pequena hortinha em meu apartamento. Sim, eu sei de todas as dificuldades. É preciso achar um local arejado com sol por mais ou menos quatro a cinco horas diárias.

Tinha duas opções a escolher: a varanda ou a área reservada para os motores dos aparelhos de ar condicionado.

Como a segunda opção é poente, recebe muito sol no horário de pico do dia. Além disto, à noite, os motores dos aparelhos de ar condicionado aquecem muito o lugar. Conclui que seria muito quente para o projeto de uma pequena horta.

Então, o lugar escolhido foi a varanda. Nascente, arejada e com sol pela manhã.

Hora de definir como seria nossa horta. Vertical ou horizontal? Vasos no chão ou em bancada?

Temos uma bancada de madeira que resolvi usar como apoio, além de duas prateleiras que fixamos na parede.

Local escolhido, hora de tirar o projeto do papel e partir para a ação.

O primeiro passo foi separar os materiais necessários:
  •  Vasos de barro ou outro material com furo no fundo para a drenagem da água. – O tamanho irá depender da área disponível.
    HORTA NA VARANDA; jardinagem

 Se preferir use floreiras, latas, garrafas pet, caixas de madeira, vasos de cerâmica... 
  •  Mudas ou sementes de qualidade e saudáveis. Mudas são mais rápidas e podem ser plantas em qualquer época. Já as sementes é necessário seguir as orientações com relação ao melhor momento de plantio.
    HORTA NA VARANDA; jardinagem
  • Ferramentas específicas para jardinagem. Existem no comércio miniaturas que são do tamanho ideal para a proposta. Se não encontrar, improvise com uma colher velha, pedaço de pau ou mesmo as mãos.
  •  Pedras, pedaços de vasos quebrados, brita ou argila expandida.
  • Terra orgânica ou terra vegetal, húmus de minhoca.
  • Manta de bidin (feltro impermeabilizante encontrado em lojas de construção) ou tela de jardinagem.
  • Recipiente ou regador com água.
Segundo passo é preparar o vaso para o plantio das mudas:
- Coloque uma camada de pedras ou argila expandida no fundo do vaso. A finalidade é permitir a drenagem da água, evitando que o excesso de água apodreça as raízes.
HORTA NA VARANDA; jardinagem
- Corte um pedaço de manta de bidin ou tela de jardinagem na largura do vaso e coloque sobre as pedras. Como não consegui achar nenhuma das duas. Adaptei uma tela de nylon. 
- Sobre a tela coloque a terra misturada (terra orgânica + humus).
Não sove, para não compactar a terra e dificultar a drenagem da água. 
HORTA NA VARANDA; jardinagem

- Retire a muda do vaso ou saco para transplantá-la. Cuidado para não ferir as raízes. 
HORTA NA VARANDA; jardinagem

- Centralize a muda no vaso e complete com terra. 
HORTA NA VARANDA; jardinagem

HORTA NA VARANDA; jardinagem

HORTA NA VARANDA; jardinagem

HORTA NA VARANDA; jardinagem

HORTA NA VARANDA; jardinagem

HORTA NA VARANDA; jardinagem

HORTA NA VARANDA; jardinagem

HORTA NA VARANDA; jardinagem

Não resisti em usar as mãos. Pá pra que? Nada mais gostoso que manipular e sentir a terra. kkkkkkkkkk. Se você não gosta use as ferramentas ou uma luva.

- Hora de aguar a muda. Nos primeiros dias é preciso observar e dosar a quantidade de água necessária. Para o mesmo, coloque o dedo na terra e sinta a necessidade ou não de água. Depois, conhecendo a necessidade de cada uma, fica mais fácil. Lembre-se, água é vida, mas em excesso irá encharcar demais e apodrecer a raiz. 
- Primeira muda transplantada, passe para as demais.
HORTA NA VARANDA; jardinagem

HORTA NA VARANDA; jardinagem

HORTA NA VARANDA; jardinagem

Ter variedade e opções de escolha torna prazeroso o ato de cozinhar. 
As opções são inúmeras: alecrim, hortelã, manjericão, pimenta, salsa, coentro, sálvia, tomilho, cebolinha, alho porró...
Escolha suas mudas de acordo com o gosto de sua família, mas arrisque algumas hortaliças e temperos novos. Uma horta doméstica sempre abre as possibilidades de novas experiências gustativas.
HORTA NA VARANDA; jardinagem

HORTA NA VARANDA; jardinagem

HORTA NA VARANDA; jardinagem

HORTA NA VARANDA; jardinagem

HORTA NA VARANDA; jardinagem

- Depois do plantio coloque os vasos no lugar definitivo. Use pratinhos para aparar a água da rega se o vaso ficar em lugar que possa ser danificado com o tempo. 
HORTA NA VARANDA; jardinagem
HORTA NA VARANDA; jardinagem

Cuidado com a dengue. Evite pratos muito grandes e derrame a água sempre após a drenagem. Se não quiser ter este trabalho, coloque areia nos pratinhos.
HORTA NA VARANDA; jardinagem

Confesso que foi uma experiência bem gratificante e muito prazerosa, muito mais do que imaginava. Uma verdadeira terapia. E como brinde consegui mais sabor nas receitas culinárias.

E aí? Ficou animado? Então que tal tentar e fazer uma pequena horta em casa? 

BOA SORTE!!!

sábado, 13 de julho de 2013

FENEARTE

Passeando na XIV FENEARTE

Termina amanhã a XIV FeneArte. O que é bom, dura pouco.

Ainda dá tempo para os que ainda não foram e aqueles que só fazem as compras de última hora.

Fui dia 12 (sexta-feira). Ao chegar me espantei com as filas para comprar os ingressos e entrar.  Longas filas. Felizmente, fluíram rapidamente e o tempo de espera foi curto. Várias pessoas orientando os visitantes. Rapidamente o público se espalhou pelos corredores e stands.
Dentro do Centro de Convenções de Olinda, local que abriga a FeneArte, é só seguir os corredores numerados. A feira é imensa, o ideal é um bom par de sapatos confortáveis e muito tempo disponível. Nada de pressa ou correria. 
Primeiros os stands dos trabalhos selecionados e premiados, depois os municípios pernambucanos com seus trabalhos maravilhosos e variados. Em seguida, os demais estados enobrecendo a feira com cores e formas diversas. Por último, os stands de outros países, com sua cultura expressa em sua arte.
No mezanino outras atrações como a galeria dos reciclados. 
Opções para todos os gostos e bolsos.

Os materiais são os mais diversos. Madeira, barro, vidro, tecido, lã, linha, tintas, cipó, telas, papel, alumínio, pastilhas de cerâmica, arames, ...
Vários artesãos, associações e cooperativas de artesanatos e artes manuais, expõem seus trabalhos para divulgação e venda.
Não poderia faltar os stands de alimentos de fabricação caseira. Licor, bombons, balas, biscoitos, salgadinhos, são apenas alguns itens. E nem estou falando da praça de alimentação. 

É possível ver peças sendo produzidas lá mesmo, nos stands. A facilidade e habilidade como estes artesãos dominam as técnicas causa admiração aos que assistem. Uma experiência enriquecedora e única. 
Fora da programação oficial dos shows, alguns artistas circulam pelos corredores levando alegria, descontração e encanto. Nada de tristeza, a hora é de alegria.
Fui, vi e amei! Já estou esperando a próxima feira. 
Bom demais.

Parabéns aos organizadores, expositores e artesãos.       
            
 (As fotos aqui postadas são de minha autoria, tiradas com a permissão dos expositores. Caso alguém se sinta prejudicado ou queira seu nome vinculado ao trabalho de sua autoria, é só postar um comentário abaixo.)