Translate

quinta-feira, 25 de maio de 2017

DOCE DE PERAS EM CALDA

COMPOTA CASEIRA DE PERA

COMPOTA CASEIRA; PERA EM CALDA; SOBREMESA DE PERAS; DOCES CASEIROS; DOCE DE PERAS
Peras são ricas em vitamina C, vitamina K, cálcio, ácido fólico, antioxidantes importantes, fibra dietética, flavonoides e são deliciosas. 
O ideal é que sejam consumidas ao natural e com a casca. 
De vez em quando encontro no supermercado um  tipo de peras pequenas vendidas em caixas.
Mas, se elas não amadurecem totalmente ou se amadurecem todas ao mesmo tempo, não dá para consumi-las naturalmente. Neste caso elas são ótimas opções para fazer doce. Como são pequenas ficam excelentes como compotas sem precisar cortá-las ao meio.
COMPOTA CASEIRA; PERA EM CALDA; SOBREMESA DE PERAS; DOCES CASEIROS; DOCE DE PERAS

Para retirar as sementes eu uso um utensílio para furar coco verde. Posiciono a pera em pé. Introduzo o "Fura coco" no meio da pera no sentido longitudinal e, ao puxar, o miolo sai totalmente. Como a pera é mais macia que o coco, não precisa usar muita força. Dá super certo.
fura coco; compota caseira; COMPOTA CASEIRA; PERA EM CALDA; SOBREMESA DE PERAS; DOCES CASEIROS; DOCE DE PERAS
COMPOTA DE PERAS
INGREDIENTES:
  • 10 peras pequenas maduras e firmes
  • 1/2 kilo de açúcar
  • 1 pedaço de pau de canela
  • 5 a 6 cravos da índia
  • 1 cálice de vinho branco (opcional - Nem sempre eu acrescento)
  • água o suficiente
  • água gelada e suco de meio limão
MODO DE PREPARO:
  1. Lave, e retire o miolo sem cortar as peras. Dica: Eu uso um furador para coco verde conhecido como Fura Coco ou Furador abridor de coco.
  2. Descasque coloque-as em água gelada e suco de limão para não escurecer.
  3. Quando todas as peras estiverem descascadas, escorra a água do molho e passe as peras para uma panela de fundo grosso. 
  4. Coloque o açúcar, o vinho branco, a canela e os cravos da índia. Dica: Quem for sensível ou alérgico à canela é só não colocá-la. O vinho branco pode ser substituído pelo tinto ou não ser usado. 
  5. Cubra tudo com água e leve ao fogo alto.
  6. Quando ferver, abaixe o fogo e deixe cozinhar. O tempo varia de acordo com o tamanho das peras e se estão muito maduras ou não. As peras devem ficar macias, mas sem perder a sua forma. Normalmente, basta 10 minutos para cozinhar as peras.
  7. Retire as peras da panela e passe para um pote de vidro.
  8. Deixe a calda no fogo e apure até o ponto de calda rala.
  9. Despeje a calda sobre as peras. Cubra a boca do vidro com um filme plástico. Tampe o vidro.
    COMPOTA CASEIRA; PERA EM CALDA; SOBREMESA DE PERAS; DOCES CASEIROS; DOCE DE PERAS
  10. Espere esfriar e guarde na geladeira.
  11. Sirva gelada com sorvete de creme, calda de chocolate ou pura.
Se gostar, faça e compartilhe.
COMPOTA CASEIRA; PERA EM CALDA; SOBREMESA DE PERAS; DOCES CASEIROS; DOCE DE PERAS

Mil bjs e até a próxima postagem que pode ser de artes, guloseimas ou companhia (viagens, passeios, pensamento, dicas, ...).
BOM APETITE!!!
Obrigada pela visita. Um abraço carinhoso a todos.
                   Teresa Cintra   

sábado, 20 de maio de 2017

BOLO GELADO DE COCO

Delicioso bolo de coco, ideal para comemorações especiais ou almoço de domingo com a família e amigos.
BOLO GELADO; bolo caseiro; bolo de coco; coco ralado; lanche; festa; sobremesa de coco
Esta receita não é minha. É de minha irmã Vera Cintra que gentilmente cedeu a receita e autorizou a sua divulgação no blog. Obrigada, Verinha pelo carinho e desprendimento. 💓
O bolo não leva recheio. Mas, fica bem molhadinho por conta da calda que é absorvida pela massa já assada do bolo, deixando com a sensação de ter sido recheado.
Eu fiz o bolo para o almoço do dia das mães. Quem provou, aprovou e repetiu. 😋😋😋 Não sobrou nem uma migalhinha para o café da manhã do dia seguinte. Este é o melhor termômetro para verificar a aprovação de uma receita e deixar quem fez muito feliz. 😃😃😃
Fiz pequenas adaptações na receita original, mas a essência principal não mexi. Apenas acrescentei coco ralado na massa do bolo e cobertura. 
Também, diminui a quantidade de creme de leite da cobertura. A receita original leva duas latas sem soro, coloquei apenas uma. Por conta da temperatura da cidade em que moro (Recife) ser muito elevada, a manteiga da cobertura ficou mole rapidamente. Diferente da minha cidade natal, onde minha irmã ainda mora, que é bem mais fria, principalmente no inverno.
A calda (de acordo com a receita original) no início parecia ser muita, mas o bolo absorveu tudinho. 
Eu preparei o bolo com a calda na véspera do evento. Depois de assar o bolo e banhar com a calda, cobri a forma e deixei na geladeira até o dia seguinte. Aí, desenformei e decorei o bolo. Deixei o bolo pronto na geladeira até o momento de ir para o almoço na casa de minha sogra.
INGREDIENTES:
BOLO: (não leva manteiga, margarina ou óleo na massa)
  • 2 xíc/chá de farinha de trigo peneirada
  • 2 xíc/chá de açúcar
  • 5 gemas
  • 5 claras
  • 1 xíc/chá de leite fervendo
  • 1 c/sopa de fermento químico em pó
  • 50 g de coco ralado (não tem na receita original, portanto, é opcional.)
CALDA DE COCO:
  • ½ litro (500 ml) de leite 
  • 3 c/sopa de açúcar refinado
  • 1 vidro de leite de coco
COBERTURA:
  • 300 g de manteiga sem sal em ponto pomada
  • 3 xíc/chá de açúcar refinado
  • 2 gemas
  • 1 lata de creme de leite sem soro ou 1 caixinha (a receita original são duas latas, mas achei que iria ficar muito mole)
  • 50g de coco ralado fino (não tem na receita original)
DECORAÇÃO:

  • coco ralado 
  • cereja em calda
MODO DE PREPARO:
BOLO:
  1. Pré-aqueça o forno a 180°C.
  2. Unte com manteiga e polvilhe com farinha de trigo uma forma. Dica: Eu usei uma forma desmontável redonda com 23 cm de diâmetro e 6,5 cm de altura. Mas, se você tiver uma forma um pouco mais alta é o ideal. O bolo cresce bem e se ficar no limite da forma fica um pouco difícil quando tiver que acrescentar a calda. Forre o fundo da forma com papel manteiga, encaixe o aro, corte o excesso do papel manteiga, unte toda a forma com manteiga e polvilhe farinha de trigo. Veja a seta vermelha indicando o papel manteiga colocado.
  3. Bata as claras em neve e reserve.
  4. Bata as gemas com o açúcar na batedeira.
  5. Junte o coco ralado (opcional) e bata ou misture com uma colher.
  6. Leve o leite ao fogo ou ao microondas. Desligue assim que começar a ferver.
  7. Acrescente a farinha de trigo e o leite fervendo alternadamente. Dica: Coloque ⅓ da farinha, misture. Acrescente ½ do leite fervendo, misture. Repita a operação até terminar os ingredientes. O primeiro e último ingrediente a ser  misturado deve ser a farinha de trigo. Para não espalhar muita farinha de trigo em sua cozinha ao usá-la, misture inicialmente com uma colher e finalize na batedeira. Bata o suficiente para ficar bem mistura. Não bata em excesso para não ativar o glúten da farinha.
  8. Adicione o fermento e mexa.
  9. Por último, junte as claras em neve com uma colher ou espátula. Não use mais a batedeira. Dica: Misture ½ das claras em neve à massa. Depois, em movimentos delicados, acrescente o restante das claras.
  10. Despeje a massa na forma preparada anteriormente. A massa fica bem aerada, tipo um pão de ló.
  11. Asse em forno pré-aquecido a 180°C por 40 a 50 minutos. Faça o teste do palito.
  12. Quando o bolo estiver quase assado, misture os ingredientes da calda. Reserve. Dica: eu usei açúcar cristal, mais o ideal é o refinado para facilitar sua dissolução.
  13. Retire o bolo do forno e, ainda quente e na forma em que foi assado, fure-o com um garfo ou uma faca. Dica: Como a forma que usei é desmontável, coloquei-a sobre uma bandeja para evitar que a calda ao ser colocada vazasse pelo aro. Vazou apenas um pouquinho, melando a bandeja, mas não escorreu. Acho que vale este cuidado para diminuir a sujeira durante o processo.
  14. Sobre o bolo quente, despeje a calda sobre o mesmo. Espere a calda ser absorvida. Não precisa desenformar o bolo e nem cortá-lo em camadas. A calda vai penetrar lentamente pela massa que é bem aerada e pelos orifícios feitos anteriormente.
    Dica: Meu bolo cresceu mais do que eu imaginei e ultrapassou o limite da forma. A medida que fui colocando a calda, eu senti a necessidade de dar uma ligeira abaixada na massa. Com a metade da calda colocada no bolo, eu pressionei um pouco a massa usando uma colher de sopa para que ficasse na altura da forma. Coloquei o restante da calda até formar uma poça na superfície do bolo. Sobrou apenas um pouco da calda. Algo em torno de ½ xíc/chá. Tem um momento que você pensa: "Será que vai dar certo?" Dá, sim. Segui as orientações de minha irmã ao pé da letra. O bolo fica meio que afogado na calda que lentamente vai sendo absorvida pela massa.
  15. Cubra a forma com uma tampa ou filme plástico e leve à geladeira até o momento de desenformar e cobrir. Dica: Eu deixe na geladeira a noite toda. O bolo só seria servido no dia seguinte no almoço. A cobertura fiz apenas na manhã seguinte um pouco antes de desenformar o bolo que foi afogado na calda. Ai, que ansiedade. Espero que no final dê tudo certo. Não vou ter tempo de preparar outro. Rsrsrsrsrsrsr.😔
COBERTURA E DECORAÇÃO:
  1. Em uma batedeira, bata a manteiga com o açúcar e as gemas até formar um creme esbranquiçado.
  2. Junte o creme de leite e bata mais um pouco.
  3. Acrescente o coco ralado (opcional).
    Dica: Caso ache que a mistura ficou mole, deixe-a por 30 minutos a 1 hora na geladeira para firmar um pouco. Foi o que eu fiz. Por conta da alta temperatura climática da cidade onde moro, a manteiga fica mole rapidamente sendo necessário deixar a cobertura na geladeira para firmar um pouco. Pelo mesmo motivo usei apenas uma lata de creme de leite (sem soro).
  4. Desenforme o bolo no prato ou bandeja em que será servido. Tire o aro, coloque bandeja ou prato sobre o bolo, vire-o em um movimento único e rápido. Retire o fundo da forma e o papel manteiga. Dica: O bolo absorveu a calda colocada no dia seguinte. Ufa, que alívio! 😌 A parte superior ficou um pouco úmida, mas sequei o excesso com um papel toalha. Consegui desenformar o bolo sem traumas. Optei por deixar a parte superior para baixo e o fundo (que estava mais liso) para cima.
  5. Cubra o bolo com uma camada caprichada da cobertura. Não precisa ficar lisinho. Com o verso de uma colher eu arrepiei a superfície do bolo, deixando-a com alguns picos. Dica: Não usei a cobertura toda, fiquei com medo de que durante o trajeto até a casa de minha sogra, a manteiga da cobertura amolecesse novamente e escorresse.
  6. Decore com o coco ralado e as cerejas em calda. Dica: O ideal é usar coco ralado grosso. O que eu tinha era fino, mas não comprometeu o resultado final e nem o sabor.
    BOLO GELADO; bolo caseiro; bolo de coco; coco ralado; lanche; festa; sobremesa de coco
    BOLO GELADO; bolo caseiro; bolo de coco; coco ralado; lanche; festa; sobremesa de coco
  7. Mantenha o bolo na geladeira até o momento de servir.
Nem precisa de uma data especial para ser comemorada. Este bolo é um bom motivo para uma pequena reunião familiar ou de amigos.
BOLO GELADO; bolo caseiro; bolo de coco; coco ralado; lanche; festa; sobremesa de coco

Vejam como, mesmo sem recheio, o bolo fica bem molhadinho.
BOLO GELADO; bolo caseiro; bolo de coco; coco ralado; lanche; festa; sobremesa de coco

Hummm... que delícia! O meu pedaço eu já garanti. 😋😋😋 Tchau, tchau balança.  KKKKKKKKKK.
BOLO GELADO; bolo caseiro; bolo de coco; coco ralado; lanche; festa; sobremesa de coco

Espero que vocês tenham gostado da receita de hoje. Não deixem de fazer e compartilhar.
Se vocês fizerem esta receita, me enviem as fotos. Vou colocá-las na atualização do link. 
Beijocas a todos visitantes, amigos e familiares!!! 😚💋
BOM APETITE!!!
Obrigada pela visita. Um abraço carinhoso a todos.
                   Teresa Cintra

sábado, 13 de maio de 2017

GARRAFAS RECICLADAS - Esmalte sintético branco e preto

GARRAFA DECORATIVA - CONTRASTE PRETO E BRANCO

Técnica que já descrevi anteriormente AQUI! 
Hoje irei usar duas cores contrastantes que adoro: Preto e branco.
ARTESANATO; DECORAÇÃO; GARRAFAS; RECICLAGEM; pintura em garrafas; arte com garrafas; reutilizando garrafas; lixo é luxo; garrafa com esmalte sintético; passo-a-passo
Eu resolvi fazer estas garrafas para aproveitar duas latinhas de tinta esmalte de trabalhos anteriores. E, gostei tanto do resultado final, que resolvi dividir com vocês.
No comércio tem boas marcas de tinta, vale a pena conferir preço antes de comprar. Mas, eu sugiro que compre uma de secagem rápida para agilizar um pouco o processo. Como a quantidade de tinta usada é pequena, você pode usar restos de tintas de projetos anteriores. O importante é que a tinta não seja a base de água.
Esta é uma técnica que não requer prática em pintura, mas necessita de muita paciência para executar cada passo e esperar o tempo de secagem de uma etapa para outra.
A pintura é feita no interior da garrafa. Para que o efeito fique mais bonito e bem nítido, é preciso ir colocando a tinta aos poucos, deixando-a escorrer pelo gargalo da garrafa.
Desta vez comecei com a cor mais escura e deixei a cor mais clara para o final. Achei que o resultado ficou melhor. A tinta branca não "apaga" a tinta preta que já está seca e o contraste fica bem nítido.
É preciso deixar secar a primeira cor antes de introduzir a segunda, para que não fiquem mescladas.
Como é uma técnica demorada, eu sempre faço mais de uma ao mesmo tempo. Vejam o meu antes e depois.
ARTESANATO; DECORAÇÃO; GARRAFAS; RECICLAGEM; pintura em garrafas; arte com garrafas; reutilizando garrafas; lixo é luxo; garrafa com esmalte sintético
Use sua garrafa na decoração de sua casa como vaso para flores secas, artificiais ou naturais com água. Nunca use garrafa com o interior pintado para guardar alimentos ou bebidas para consumo humano ou animal. Seu uso é exclusivamente decorativo.
MATERIAIS:
  • esmalte sintético preto (secagem rápida)
  • esmalte sintético branco (secagem rápida)
  • solvente para esmalte sintético
  • pinceis de tamanhos variados
  • álcool líquido e pano de limpeza
  • jornal (bastante)
  • luva descartável

PASSO-A-PASSO:
  1. Retire o rótulo, lave (exterior e interior) e seque a garrafa. Deixe virada para baixo até escorrer toda a água.  Depois coloque álcool líquido dentro da garrafa, movimente o álcool em todo o interior e escorra-o. Finalize passando um paninho limpo com álcool no exterior da garrafa.
  2. Forre o local de trabalho com bastante jornal ou papelão e use luvas descartáveis. Mesmo a pintura sendo no interior da garrafa, a sujeira é grande.
  3. Com cuidado e usando um pincel ou um recipiente com bico fino e longo com tinta preta, vá despejando a tinta pela parede interna do gargalo da garrafa. Não coloque muita tinta para não cobrir totalmente a parede interna da garrafa. É preciso que fique áreas sem tinta para receber em outra etapa a cor branca. Dica: Evite diluir a tinta. Caso ela esteja muito grossa, coloque pouco diluente. O diluente deixa a tinta muito fluida, escorrendo muito rápido e não aderindo o suficiente no vidro.
  4. Quando parte da tinta tiver chegado na base da garrafa, vire-a com o gargalo para baixo e deixe escorrer o excesso da tinta sobre um copo ou jornal.
  5. Depois, vire novamente a garrafa para sua posição original e deixe a tinta secar bem. Dica: Mesmo sendo uma tinta de secagem rápida é preciso esperar em torno de 24 horas para a tinta secar bem. Dependendo da umidade e temperatura do ar, este tempo pode ser bem maior. Isto pela pouca ventilação no interior da garrafa. Deixe de ser agoniada e vá fazer outro coisa.
  6. Coloque a segunda cor no interior da garrafa. No meu caso foi a tinta branca. Deixe a tinta escorrer e rode a garrafa para fazer uma cobertura total do interior. Dica: Neste momento você pode colocar mais tinta que anteriormente. Afinal, você deverá cobrir toda a parte interna da garrafa com esta segunda cor. Como a tinta preta já está seca elas não irão se misturar.
  7. Faça o mesmo com as outras garrafas.
    Dica: Você pode deixá-las, deitadas, sempre rodando-as de tempo em tempo, para cobrir toda a área interna. Não esqueça de pôr um calço em cada lado para evitar que as garrafas rolem e caiam.
  8. Quando a cobertura estiver do seu agrado, vire as garrafas com o gargalo para baixo, sobre jornais, para escorrer o excesso de tinta.
  9. Vire novamente as garrafas com o gargalo para cima e espere a secagem final da segunda tinta.
  10. Com um paninho umedecido no solvente limpe o lado externo da garrafa e a ponta do gargalo. (Impossível não fazer sujeira). Use o solvente de sua preferência que pode ser thinner, aguarrás, querosene ou outro. Dica: Caso você não tenha nenhum ou seja alérgica aos solventes químicos, faça a limpeza com acetona ou removedor de esmalte de unha hipoalergênico. Acredite, dá certo.
    ARTESANATO; DECORAÇÃO; GARRAFAS; RECICLAGEM; pintura em garrafas; arte com garrafas; reutilizando garrafas; lixo é luxo; garrafa com esmalte sintético
  11. Prontinho, garrafas terminadas e prontas para uso decorativo. A pintura com esmalte sintético dispensa proteção de verniz na finalização do trabalho.
    ARTESANATO; DECORAÇÃO; GARRAFAS; RECICLAGEM; pintura em garrafas; arte com garrafas; reutilizando garrafas; lixo é luxo; garrafa com esmalte sintético
Gostaram? Então não deixem de fazer e compartilhar. Eu irei ficar aguardando as garrafas de vocês. 

Mil bjs e até a próxima postagem (arte, viagem ou guloseimas).
BOA SORTE e SUCESSO NOS TRABALHOS!

Obrigada pela visita!!!

sábado, 6 de maio de 2017

BOLO DE BANANA E AVEIA

Esta maravilhosa receita de bolo de banana e aveia, foi testada e aprovada em minha pequena cozinha. 
bolo caseiro; receita com banana; café da manhã; lanche; sobremesa

Trata-se de um bolo bem caseiro com ares de bolo de vó. E eu nem sou avó ainda. Será desejo reprimido? Que meus filhos não leiam isto. (😄😃😃)
Nem todo bolo é sinônimo de festa ou aniversário. 
Os bolos caseiros são um curinga para a dona de casa que quer agradar sua família.
bolo caseiro; receita com banana; café da manhã; lanche; sobremesa
Gostosos e econômicos eles podem aproveitar o que se tem em casa. Algo como aquela banana que amadureceu e tem que ser usada logo. Ou, quem sabe, aquela aveia que os filhos não gostam de misturar no cereal matinal. Tudo se renova e se transforma em um delicioso bolo caseiro.

Mas, se seus filhos não abrem mão do chocolate, tudo se resolve com uma grossa e deliciosa calda de chocolate que será derramada sobre o bolo.

Acompanhem a receita abaixo:
INGREDIENTES:
  • ½ xíc/chá de manteiga (100 g) → temperatura ambiente
  • 1 ½ xíc/chá de açúcar → cristal, demerara ou mascavo
  • 3 ovos → temperatura ambiente
  • 2 xíc/chá de farinha de trigo → peneirada
  • ½ xíc/chá de aveia
  • ½ xíc/chá de leite (100 ml) → temperatura ambiente
  • ½ c/chá de essência de baunilha
  • 1 c/sopa de fermento químico
  • doce de banana: 3 a 4 bananas (nanica ou prata) maduras + 2 c/sopa de açúcar
  • ½ xíc/chá de passas de uva (opcional) → sem sementes
MODO DE PREPARO:
  1. Prepare o doce de banana em uma pequena panela. Misture a banana picada com o açúcar e leve ao fogo baixo. Não acrescente água. Junte as passas de uva. Deixe esfriar para poder empregar. Dica: eu não usei passas. Meus filhos não gostam e ficam catando. Uma outra opção é usar canela em pó no lugar das passas. Basta uma pequena quantidade.
  2. Junte a aveia ao doce de banana. Reserve. Dica: embora a aveia possa ser misturada com a farinha de trigo, eu prefiro misturar ao doce para absorver a calda que se formou.
  3. Pré-aqueça o forno a 180°C.
  4. Unte e polvilhe uma forma com farinha de trigo. Reserve.
  5. Na batedeira, bata a manteiga com o açúcar até ficar homogêneo.
  6. Acrescente os ovos um a um. Bata bem a cada adição.
  7. Desligue a batedeira.
  8. À parte misture a baunilha ao leite.
  9. Acrescente a farinha de trigo e o leite alternadamente à massa do bolo. Misture com uma espátula.
  10. Adicione o doce de banana à massa. Misture. 
  11. Por último, junte o fermento e misture.
  12. Despeje a mistura na forma preparada anteriormente. Dica: Este bolo pode ser assado em forma tipo anel ou forma sem furo no meio. Escolha a de sua preferência. Eu optei pela tipo anel.
  13. Asse em forno pré-aquecido a 180°C por 50 minutos aproximadamente. Faça o teste do palito.
  14. Deixe esfriar sobre uma grade antes de desenformar.
  15. Enquanto espera o bolo esfriar, prepare a calda de chocolate para cobrir o bolo. Receita no final da postagem.
  16. Desenforme sobre o prato ou bandeja para bolo.
  17. Despeje a calda ainda quente ou morna sobre o bolo. Deixe escorrer nas laterais.
    bolo caseiro; receita com banana; café da manhã; lanche; sobremesa
  18. Sirva no café da manhã, lanche da tarde ou como sobremesa após o almoço ou jantar.
    bolo caseiro; receita com banana; café da manhã; lanche; sobremesa
CALDA DE CHOCOLATE:
INGREDIENTES:

  • ½ xíc/chá de leite ou água (eu usei leite)
  • ½ xíc/chá de açúcar refinado ou cristal
  • ½ xíc/chá de chocolate em pó com 50% de cacau (peneirado)

MODO DE PREPARO:

  1. Coloque em uma pequena panela o leite (ou água) com o açúcar.
  2. Leve ao fogo até dissolver o açúcar.
  3. Junte o chocolate em pó e misture.
  4. Mantenha em fogo baixo até engrossar ligeiramente. 
  5. Empregue quente ou morno sobre o bolo desenformado.

Entre uma mordida e outra, lá está a brasileiríssima e espetacular banana. Uma delícia!
bolo caseiro; receita com banana; café da manhã; lanche; sobremesa

Sobrou calda? Coloque em um pequeno recipiente e leve à mesa para um pequeno acréscimo na já deliciosa fatia de bolo.
bolo caseiro; receita com banana; café da manhã; lanche; sobremesa

Espero que vocês tenham gostado da receita de hoje. Não deixem de fazer.
Quem se animar em fazer, por favor deixe seu depoimento! Quero saber como ficou o bolo de vocês.
Beijocas!!!! Até a próxima postagem.
BOM APETITE!!!
Obrigada pela visita. Um abraço carinhoso a todos.
                   Teresa Cintra